Ribeirão Preto, SP, pode ser referência nacional em exames de Covid-19, diz diretor da Fiocruz

Município vai receber lote com 17 mil testes sorológicos, que pode ser ampliado para 50 mil.

Resultados auxiliam em medidas de controle da doença.

Cientistas da USP e Fiocruz pesquisam anticorpos para vacina contra Covid-19 em Ribeirão Preto (SP) Reprodução/EPTV O diretor da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Ribeirão Preto (SP), Rodrigo Stabeli, afirma que com a chegada do primeiro lote com 17 mil testes sorológicos vindos da unidade do Rio de Janeiro na primeira quinzena de julho, e com dois robôs que serão instalados no Supera Parque para processar exames RT-PCR de Covid-19, a cidade pode se tornar referência no Brasil no controle da pandemia. Ao chegarem à cidade, os lotes da Fiocruz serão encaminhados para Unidade Básica Distrital de Saúde (UBDS) do Castelo Branco, na zona leste, transformada em laboratório exclusivo para testes sorológicos.

A expectativa é que se façam 200 testes por hora e mil testes por dia. “Talvez seja a primeira cidade do Brasil a ter alta capacidade de testes de PCR e alta quantidade de testes sorológicos, de forma que a gente consiga mapear o positivo, seus contactantes e isolar, para que eles não passem para frente o vírus”, diz. Significado das siglas e diferença entre testes para Covid-19 Stabeli explica que a transferência dos testes foi negociada diretamente com a Fiocruz do Rio de Janeiro e não teve custos para a Prefeitura.

Assim que a demanda do primeiro lote esgotar, a unidade local faz mais pedidos até que se atinja o limite de 50 mil amostras. Esses exames não dão o diagnóstico completo da Covid-19, mas apontam a presença dos anticorpos IgA, IgG ou IgM no sangue do paciente após exposição ao vírus.

Com o resultado, o paciente será orientado a passar por consulta médica. “O principal benefício é que o teste que vai auxiliar o inquérito epidemiológico da cidade para que se possam isolar as pessoas que estão positivas ou não, dependendo do inquérito clínico”, explica.

Polo de inovação em tecnologia, Supera Parque realiza testes de Covid-19 em Ribeirão Preto Claudia Loureiro/Supera Parque Procedimento Diferente dos chamados testes rápidos, dos quais o resultado pode ser conhecido em até 15 minutos após o paciente ter o dedo furado para a captação do sangue, esses exames prometem o diagnóstico com um pouco mais de tempo, 49 minutos, e mais completo. As amostras foram adquiridas pela Fiocruz do Rio de Janeiro junto à norte-americana Abbott e foram analisados por técnicos do Laboratório Nacional de Controle de Qualidade da Saúde, órgão ligado ao governo federal. O sangue venoso do paciente é coletado, passa pelo processo de centrifugação e é colocado em uma máquina específica para a captação do resultado, instalada na UBDS do Castelo Branco. Profissional de saúde recebe paciente no polo Covid-19 em Ribeirão Preto (SP) Reprodução/EPTV A proposta é que e as unidades básicas de saúde e os centros de coleta da Prefeitura façam os testes e levem para o laboratório central.

A Secretaria Municipal de Saúde deve definir o protocolo nos próximos dias. No entanto, a fundação pediu para que todos os profissionais de saúde fossem priorizados nesta primeira etapa, já que a população está guarnecida de quatro pontos de testagem RT-PCR na cidade: Hospital das Clínicas, Hemocentro, unidade regional do Instituto Adolfo Lutz e Supera Parque ”É interessante entender como é que está esse profissional de saúde, se está imune ou se não está.

Se a gente tiver muito profissional de saúde doente, a gente vai ter menos capacidade de atendimento na UTI, por exemplo.

Se ele estiver imune, é importante que cuide do paciente já sabendo que não coloca ninguém em risco”, explicou. Sem atrasos O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) disse nessa semana que 'não haverá mais atrasos' na divulgação dos resultados de exames RT-PCR, o mais completo para a Covid-19, depois que os dois robôs, um cedido pela Fiocruz, e outro pelo Instituto Butantan, forem instalados na cidade. A previsão é de que isso aconteça na primeira quinzena de julho.

Os equipamentos, juntos, podem fazer até 1,6 mil exames por dia, processando amostras de nasofaringe. Atualmente, o Supera Parque trabalha em três turnos a demanda da cidade, mas o sistema robotizado deve reduzir de quatro para duas horas a extração do código genético do vírus. De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, a cidade tem 5.452 casos de Covid-19 e 168 mortes por complicações da doença.

Segundo a pasta, 4.489 pessoas ainda aguardam os resultados de exames feitos para o novo coronavírus. Coleta para o teste RT-PCR (laboratorial), o tipo mais indicado para o diagnóstico da Covid-19 Isabela Carrari/Prefeitura de Santos Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca Initial plugin text
Categoria:SP - Ribeirão Preto e Franca