Coronavírus: Guarda de Campinas registra 15 ocorrências por dia de desrespeito à quarentena

Levantamento realizado no mês de junho mostra que 70% dos casos tratam de descumprimento das medidas sanitárias.

Cidade registra até esta quinta 8,9 mil infectados, incluindo 343 mortes.

Centro de Campinas é o bairro com mais ocorrências registradas em junho pela GM A Guarda de Campinas (SP) registra média de 15 ocorrências por dia de desrespeito às regras de quarentena impostas para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Dados fornecidos pela prefeitura à EPTV, afiliada da TV Globo, mostram que em junho, por exemplo, foram contabilizados 456 casos, dos quais 70% - o equivalente a 323 - tratam de descumprimento das medidas sanitárias. O levantamento destaca que as áreas com mais demandas são Centro, Cambuí e Satélite Íris.

Em junho, o comércio da região central e os shoppings centers ficaram abertos por duas semanas, mas voltaram a ser fechados em virtude dos aumentos de casos e mortes por Covid-19 na cidade.

Além disso, os leitos de UTI Municipal para pacientes com a doença chegaram a ter ocupação máxima. Campinas registra até esta quinta-feira um total de 8.995 infectados, incluindo 343 mortes. Ocorrências em junho descumprimento de medida sanitária - 323 perturbação de sossego - 89 Lei do Pancadão - 43 manifestação pública - 1 Áreas com mais ocorrências Centro - 32 Cambuí - 20 Satélite Íris - 14 Além do descumprimento de medidas sanitárias, como as ocasiões de comerciantes que não podem receber clientes nas lojas, a corporação diz que intensificou a fiscalização contra moradores que fazem festas, sobretudo com uso de som alto em veículos.

"Muitas pessoas sem máscaras, utilizando mesmo copo, garrafa, sem proteção [...] As denúncias são importantes através do 153 [telefone], tem o aplicativo.

Nós já tivemos mais de 3 mil solicitações", diz o comandante da Guarda, Marcio Frizarin. A assessora do Departamento de Vigilância em Saúde Mayara Tomaz ressalta que é preciso conscientização de todos para enfrentamento da doença, incluindo os responsáveis pelos estabelecimentos comerciais, para reduzir a curva de contaminação na cidade. "Se não está funcionando de forma adequada, está colocando em risco tanto os funcionários, quanto as pessoas que frequentam os locais", explica.

Além do uso obrigatório de máscaras, é preciso que os serviços essenciais disponibilizem álcool em gel para clientes, não permitam consumo na área interna, estabeleçam controle de acesso e se há declaração de estabelecimento responsável. Multidão no Centro de Campinas, após reabertura do comércio Jefferson Barbosa/EPTV Fiscalização em Sousas Duranta uma fiscalização no distrito de Sousas, nesta quinta-feira, três estabelecimentos foram autuados por descumprimento de regras e devem ser multados em R$ 1,4 mil.

Segundo a prefeitura, a penalidade dobra em caso de reincidência, e na terceira o local é fechado enquanto durar a quarentena. Formas erradas e corretas de usar máscara de proteção contra o coronavírus Arte/G1 Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

Categoria:SP - Campinas e região