Prefeitura de Porto Alegre entrega novo hospital com 60 leitos para combate à Covid-19

Estrutura foi construída em 30 dias junto ao Hospital Independência.

Projeto teve apoio de empresas privadas e passa a receber pacientes a partir de 15 de junho.

Prefeito Nelson Marchezan Jr.

visitou as instalações na manhã desta sexta-feira (29) Jefferson Bernardes / PMPA A Prefeitura de Porto Alegre entregou na manhã desta sexta-feira (29) o hospital construído para reforçar o combate ao coronavírus na Capital.

As obras do complexo ficaram prontas na quinta-feira (28), cumprindo o prazo de 30 dias estipulado no anúncio da construção.

A estrutura fica junto ao Hospital Independência e conta com 60 leitos de média complexidade para atendimento de pacientes com Covid-19.

O atendimento começará a ser feito a partir do dia 15 de junho.

O projeto foi viabilizado por meio de uma parceria entre a Prefeitura da Capital e os grupos Gerdau, Ipiranga, Zaffari e Hospital Moinhos de Vento.

O investimento é de R$ 10,4 milhões e, após a pandemia, a unidade será entregue à prefeitura.

A operação do centro de atendimento será 100% destinado ao Sistema Único de Saúde (SUS).

"Não estamos entregando apenas a obra, é uma entrega maior, um legado extraordinário para a nossa cidade", destaca o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior. O secretário municipal da Saúde, Pablo Stürmer, ressalta que a unidade oferece uma estrutura qualificada e com mais segurança que um hospital de campanha.

"É difícil levar a estrutura de um hospital para uma unidade temporária.

Aqui, tivemos a preocupação de ampliar um hospital estruturado que ficará a serviço da rede municipal", diz. Hospital tem 60 leitos para atendimentos a pacientes com a Covid-19 Jefferson Bernardes / PMPA Os leitos foram estruturados a partir de uma técnica chamada construção modular, que permite entregar obras em caráter definitivo e com velocidade quatro vezes maior que uma construção comum. O Hospital Moinhos de Vento será o responsável por fornecer materiais, equipamentos e medicamentos para a operação da nova ala durante a pandemia e por compartilhar práticas de gestão. "Estamos juntos na gestão deste projeto desde o início, compartilhando nossa expertise, e vamos contribuir com insumos, medicamentos e despesas operacionais enquanto perdurar a parceria”, destaca o CEO do Moinhos de Vento, Mohamed Parrini. A nova estrutura modular será utilizada como uma ala de retaguarda, recebendo pacientes em fase final do tratamento que já tiveram alta da UTI.

A intenção é que leitos de alta complexidade fiquem liberados para receber novos pacientes.

Além dos leitos, o anexo conta com sanitários, posto de enfermagem, salas de serviços, farmácia, rouparia, copa e área técnica, além de uma rampa que fará a integração da nova unidade ao primeiro pavimento do Hospital Independência.

Estrutura fica junto ao Hospital Independência e atenderá 100% SUS Jefferson Bernardes / PMPA
Categoria:Rio Grande do Sul